segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Cultura aprova proposta que obriga fornecimento gratuito da versão digital de livro adquirido por consumidor


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 3347/15, do deputado Ezequiel Teixeira (SD-RJ), que pretende obrigar editoras e distribuidoras a disponibilizar, sem custo adicional, a versão digital de livro físico adquirido pelo consumidor identificado na nota fiscal.
Emenda de Celso Pansera ao texto ressalva que a obrigatoriedade depende de a editora já possuir a obra em formato digital.
O texto prevê multa de R$ 1.500 em caso de descumprimento da norma, sem prejuízo de danos morais ou materiais.
O relator, deputado Celso Pansera (PT-RJ), recomendou a aprovação. Ele apresentou emenda para ressalvar que a obrigatoriedade prevista na futura lei será exigida “desde que a editora já possua disponível e autorizada tal obra em formato digital”. Conforme o relator, isso é necessário porque, segundo o Censo do Livro Digital, 63% das editoras brasileiras ainda estão fora desse mercado.
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Agência Câmara Notícias'

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Prêmio Espantaxim anuncia vencedores de 2018



A organização do Concurso Nacional Literário Infantil – Prêmio Espantaxim – anuncia os resultados finais da edição de 2018: ao todo, 230 textos de crianças com idade entre 7 e 12 anos foram selecionados como premiados, de um total de 3.393 participantes. Os pequenos escritores são provenientes de 48 escolas (públicas e privadas), de 96 cidades e 14 Estados: SP, MG, BA, MT, PE, PA, PB, PR, RJ, SC, SE, RO, RS e GO.
Os números refletem um dos maiores índices de participação entre todas as edições do Prêmio, criado para estimular o interesse das crianças pelo universo da literatura, da escrita e da leitura. Os 230 trabalhos premiados na edição de 2018 – 20 a mais em relação ao último concurso – serão reunidos na V Antologia – Prêmio Espantaxim 2018, que será prefaciada pelo prestigiado Presidente da Google do Brasil, Fábio Coelho. “Sempre procuramos uma personalidade influente na área relacionada ao tema do concurso. E o Fábio gentilmente aceitou o nosso convite para escrever o prefácio da publicação”, explica a autora e escritora Dulce Auriemo, idealizadora do Prêmio Espantaxim.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

CARONA PARA O MONSTER


Na semana de Iniciação Cientifica da UESC, um curioso visitante pegou carona em minha calça jeans. Mirei a lente e ele autorizou o clic e divulgação da imagem com um sorriso meio doce, meio monstruoso. Marcos Mauricio.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Alerta: app que promete ver quem visualizou seu perfil no Facebook esconde malware



A ESET revelou nesta semana uma nova família de malware bancário direcionada a usuários brasileiros. Sua propagação ocorre por meio da loja oficial do Google Play e de anúncios patrocinados no Facebook.
Trata-se de um malware bancário que simula ser um aplicativo para melhorar o desempenho do dispositivo, com o nome “Cleand Droid” e que registrou mais de 500 instalações; um app para monitorar o Facebook chamado “Quem viu teu perfil” e que contou com mais de 10 mil instalações; e outro denominado “MaxCupons” e que obteve mil downloads da loja oficial do Google.
Segundo Lukas Stefanko, pesquisador de malwares da ESET, explica que, para ficar fora do

“Trovão Gigante”: USP participa de descrição de megadinossauro da África do Sul



Montagem sobre ilustração de Viktor Radermacher, estudante de paleontologia da Universidade de Witwatersrand
Uma nova espécie gigante de dinossauro, o Ledumahadi mafube, foi descrita por uma equipe de pesquisadores liderados pelo professor e paleontólogo da Universidade de Witwatersrand, África do Sul, Jonah Choiniere. Na equipe está o pós-doutorando do Laboratório de Paleontologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, Blair McPhee, primeiro autor do estudo que foi publicado em setembro na revista Current Biology.
A equipe de pesquisa também inclui os paleocientistas da África do Sul Emese Bordy, da Universidade da Cidade do Cabo, e Jennifer Botha-Brink, do Museu Nacional da África do Sul em Bloemfontein, além do professor Roger BJ Benson, da Universidade de Oxford.
“Trovão Gigante”

MALÁRIA


Mais informações: e-mail danielbargieri@usp.br, com o professor Daniel Bargieri

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Educação Popular em Saúde apresenta trabalho de cordel em Ilhéus

A Prefeitura de Ilhéus, através da Secretaria de Saúde, realizou na manhã de quarta-feira, 24, na Loja Maçônica Regeneração Sul Baiano, no centro da cidade, a apresentação do Cordel “Muitas histórias: Um SUS, Muitas Memórias: Uma Identidade”, cujo evento faz parte da dinâmica do EDPOPOSUS Ilhéus, um produto do curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde. Estiveram presentes ao ato, o secretário de Saúde do município, Geraldo Magela, os coordenadores do EDPOPOSUS Nacional e Estadual, Ronaldo Travassos e Jocelia Fonseca, e coordenadora responsável pela Educação Permanente em Ilhéus, Deise Santos.
O curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde é realizado em parceria com o Departamento de Saúde da UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz), representado pelo professor Cristiano Bahia. Segundo ele, o projeto busca na integração de ensino, serviço e comunidade, uma forma de valorizar a cultura popular a partir dos diversos saberes, além de colocar à disposição as ações da Universidade.
“Nessa integração, a gente está tendo a possibilidade de promover ações a partir do saber acadêmico e do saber popular, adquirir conhecimento da realidade da localidade, como também a comunidade passa a ter acesso aquilo que a UESC produz”, disse Cristiano Bahia.

Descobertas mais gravuras rupestres no Vale do Côa, em Portugal


VILA NOVA DE FOZ COA / FOTO: PEDRO GUIMARÃES / FUNDAÇÃO COA PARQUE (ARQUIVO)

Portugal Digital com Lusa - Uma equipa de arqueólogos colocou a descoberto uma nova rocha com gravuras rupestres, no sítio da Penascosa, no Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC), revelou hoje à agência Lusa um dos investigadores envolvidos nas sondagens arqueológicas.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Projeto obriga Casa da Moeda a gravar valores de cédulas em braile



Diego Andrade: marcas táteis ficam desgastadas com o uso, o que dificulda a identificação por pessoas com deficiência viual

No processo de fabricação da moeda nacional, a Casa da Moeda poderá ter de gravar expressamente os valores das cédulas em braile, adicionalmente às marcações táteis em relevo já existentes, caso o Projeto de Lei 10565/18 seja aprovado pela Câmara dos Deputados.
Autor da proposta, o deputado Diego Andrade (PSD-MG) explica que o real – moeda corrente no Brasil desde 1994 – contém seis tipos de cédulas, possuindo texturas e tamanhos diferenciados para que as pessoas com deficiência visual possam distingui-las mais facilmente.
“Ocorre que, mesmo possuindo marcas táteis em relevo, as cédulas depois de uso prolongado ficam muito desgastadas, o que dificulta a identificação por pessoas com deficiência visual”, explicou o deputado.
O texto altera a Lei 4.510/64, que trata da organização da Casa da Moeda.
O projeto será analisado, de forma conclusiva, pelas Comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
'Agência Câmara Notícias'

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Concurso para crianças quer saber: “o que é ciência para você?”



O grupo Nunca vi um Cientista nasceu a partir de encontro de cientistas brasileiros no FameLab, maior competição de divulgação científica do mundo – Foto: Reprodução/YouTube

.
No mês das crianças, o grupo de divulgação científica Nunca vi um Cientista (NV1C) promove uma campanha para incentivar nos pequenos o interesse pelo mundo da ciência. Com apoio do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, em São Paulo, o concurso cultural Acho que vi um Cientista convida crianças de 5 a 10 anos a gravar um vídeo de até um minuto respondendo à seguinte pergunta: o que é ciência para você?

Rita Pinheiro e Valdeck Almeida participam de encontro de escritores no Chile

 A Garimpeira da Cultura Rita Pinheiro e o articulador cultural Valdeck Almeida de Jesus participam do evento internacional chileno “II Encuentro de Escritores Hispanoamericanos” organizado pela entidade “Abrazo de Escritores y Artistas Hispanoamericanos – AEAH”, sob a coordenação da poeta Nancy Arancibia em homenagem a Pablo Neruda. 
A reunião acontece em Santiago (Chile), entre os dias 7 e 10 de novembro de 2018, com uma vasta programação, incluindo palestras, leituras de poemas, visita a espaços culturais da cidade: Biblioteca Nacional, sede da Casa de la Sociedad de Escritores de Chile e Ilustre Municipalidad de San Bernardo; e finaliza com uma turnê turística noturna à capital chilena. Participam poetas, escritores, cronistas e artistas da palavra de vinte e um países, dentre eles o Brasil, com dois representantes, Argentina e Estados Unidos. 

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Projeto da Biblioteca Brasiliana convida à leitura



A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, local do evento Leitura de Autores – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

.
O ciclo de palestras Leitura de Autores promove encontros com escritores contemporâneos sobre sua formação como leitores e como essas leituras influenciaram em seu desenvolvimento pessoal e profissional. Promovido pela Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) e pelo Núcleo de Estudos do Livro e da Edição (Nele) da USP, o projeto é coordenado pelos professores da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Plinio Martins Filho e Jean Pierre Chauvin. O próximo convidado é o escritor e editor pernambucano Marcelino Freire, que participa do encontro no dia 24 de outubro, às 16 horas, na Sala Villa-Lobos do Complexo Brasiliana.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

USP é a universidade brasileira mais bem classificada no ranking do Brics



A consultoria britânica especializada em ensino superior Quacquarelli Symonds (QS) divulgou, no dia 17 de outubro, mais uma edição do ranking de universidades dos países que compõem o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A USP foi a universidade brasileira mais bem colocada, ficando na 14ª posição.
A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ficou na 16ª colocação; a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), na 29ª posição; e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na 32ª. As instituições chinesas lideram o ranking, com sete universidades entre as dez primeiras classificadas.

sábado, 20 de outubro de 2018

Imagens verdadeiras são minoria em grupos do WhatsApp, segundo estudo



Um novo estudo realizado por professores universitários e por uma agência de checagem de fatos analisa os tipos de conteúdos compartilhados pelos brasileiros no WhatsApp, que vem sendo apontado como vetor de disseminação de notícias falsas no país, especialmente durante o período eleitoral. As informações são da Agência Brasil e da Agência Lupa.
Conforme as reportagens citadas acima, o levantamento em questão, que foi realizado por Pablo Ortellado, da USP, Fabricio Benvenuto, da UFMG, e pela Agência Lupa, analisou um total de 347 grupos monitorados pelo projeto Eleição sem Fake, da universidade mineira, entre 16 de agosto e 7 de outubro. Neste período, os grupos reuniram mais de 18 mil usuários, que trocaram cerca de 846 mil mensagens, incluindo textos (562.866), vídeos (71.931), links (90.962) e imagens (107.256).
Entre as 50 imagens (com foto e texto) mais compartilhadas nesses grupos durante esses quase dois meses, a pesquisa descobriu que apenas 4 (8%) delas poderiam ser consideradas verdadeiras, incluindo uma do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em uma maca e outra do autor da facada contra o candidato, Adélio Bispo de Oliveira.
Deste total, foram encontradas ainda 8 (16%) imagens falsas, incluindo uma com a ex-presidente Dilma Rousseff com Che Guevara; 4 imagens (8%) insustentáveis – quando os conteúdos não se baseiam em nenhum banco de dados público confiável; e 9 imagens com fotos reais, mas com alusões a teorias da conspiração não comprovadas. Vale citar ainda que foram descobertas 7 imagens com fotos reais, mas tiradas de contexto, 3 consideradas sátiras, 6 associadas com textos de opinião (que não são checados pela agência) e mais 3 que não foram analisadas uma vez que houve possibilidade de confirmar se as fotos foram feitas no Brasil.
No total, mais da metade (56%) das imagens que mais circularam nos grupos de WhatsApp analisadas no levantamento foram consideradas “enganosas”, conforme aponta a Agência Brasil.

Pedidos ao WhatsApp
Em um artigo publicado no The New York Times sobre o levantamento, os autores do levantamento destacam ter feito três pedidos ao WhatsApp com base nas suas descobertas para diminuir a disseminação de informações no país pela plataforma até o segundo turno das eleições, programado para acontecer em 28 de outubro. A lista inclui três solicitações: diminuir o limite de encaminhamentos para até cinco contatos de uma vez, como já acontece na Índia; restringir o total de contatos para os quais é possível enviar uma mensagem (hoje o limite é de 256 contatos, no país); e limitar o tamanho de novos grupos criados nas próximas duas semanas.
No entanto, o WhatsApp respondeu dizendo que não teria tempo para implementar as mudanças. “Nós discordamos: na Índia, levou apenas alguns dias para o WhatsApp começar a fazer esses ajustes. O mesmo é possível no Brasil.”
idgnow.com.br
terra.com.br

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Há cem anos, a gripe espanhola assolava São Paulo

Anna C. R. de C. Ribeiro 

Aepidemia de gripe pneumônica, ou influenza, não possui sua origem geográfica definida, contudo acredita-se que ficou conhecida como gripe espanhola por, durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Espanha ter se mantido neutra, permitindo que sua imprensa noticiasse casos da nova peste na Europa, ocasionado assim a associação dos primeiros focos da epidemia a esse país.
Estudiosos estimam que a gripe espanhola, maior epidemia da história, tenha atingido entre 80% e 90% da população do planeta, alcançando 20 milhões de mortes entre os tempos finais da guerra e os meses iniciais de 1919.
Encontrando corpos castigados pelo conflito mundial e debilitados pela carestia, a gripe espanhola avançou continentes adentro em três surtos epidêmicos, aportando no Rio de Janeiro, então capital do Brasil, a bordo do navio Demerara, vindo de Liverpool, em 14 de setembro de 1918, depois de fazer escalas em Lisboa, Recife e Salvador. Em sua forma mais virulenta e contagiosa, a gripe invadiu o País e se alastrou rapidamente do litoral aos sertões, colocando em xeque as ações sanitárias e os saberes médicos do período.
“O número de mortos foi grande, o de atacados assombroso. Raríssimos os que se podem gabar de ter passado incólumes pelas chamas da fogueira”, escreveu Eduardo Imbassahy sobre a gripe espanhola no Rio de Janeiro. (1)

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

USP premia alunos e escolas da rede pública com mais de R$ 400 mil

Alunos da rede pública recebem prêmios da Competição USP de Conhecimentos em cerimônia realizada em maio deste ano – Foto: Edmilson Luchesi / USP São Carlos

No próximo dia 18 de outubro, às 14h30, no campus de São Carlos, a Universidade promoverá a cerimônia de premiação dos estudantes mais bem classificados na edição 2018 da Competição USP de Conhecimentos (CUCo), voltada para alunos de 1º, 2º e 3º anos do ensino médio da rede pública do Estado de São Paulo.
A cerimônia será realizada no Auditório Prof. Dr. Fernão Stella de Rodrigues Germano, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), localizado na área 1 do campus (Av. Trabalhador São-Carlense, 400, em São Carlos).

No embate de ideias, há quem prefira queimar livros a discuti-los

Publicação sobre direitos humanos vandalizada na Biblioteca Central da Universidade de Brasília (UnB), neste mês – Foto: Reprodução / CEAM UnB

.
Recentemente, o Brasil viu estampar em seus noticiários dois novos casos de temor e ódio aos livros. No início de outubro, um colégio particular do Rio de Janeiro suspendeu a leitura de Meninos sem Pátria, romance de Luiz Puntel escrito em 1981, destinado aos estudantes do sexto ano. O motivo foi a revolta de pais de alunos, que acusavam a obra de “doutrinação comunista”. Na mesma semana, publicações sobre direitos humanos apareceram destruídas na Biblioteca Central da Universidade de Brasília (UnB). Páginas abordando a luta por direitos e o fim da ditadura militar foram encontradas rasgadas por servidores da instituição.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Exposição destaca edições raras de Machado de Assis


Machado de Assis – Foto: Academia Brasileira de Letras
A exposição revela a grande variedade e a amplitude da trajetória de Machado de Assis como escritor. O leitor de Machado de Assis, considerado o maior romancista brasileiro, tem um encontro inusitado com Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro, Quincas Borba e outras obras-primas da literatura brasileira. E, além de ver edições raras dessas obras, vai conhecer o cotidiano do jornalista Machado de Assis escrevendo para periódicos de sua época. A dimensão sensível do contista brilhante e do crítico respeitado está na exposição Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades, em cartaz na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP. A curadoria é do professor Hélio de Seixas Guimarães, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que, há três anos, vem desenvolvendo pesquisas sobre Machado de Assis no acervo da BBM.“A decisão de realizar esta exposição veio do contato com esse material e pela constatação de que se trata de um conjunto não só importante, mas extraordinário e absolutamente singular”, observa Guimarães. “Esse conjunto é composto não só de primeiras edições, mas de exemplares únicos, colecionados por Rubens Borba de Moraes e José Mindlin em décadas de criterioso garimpo. Ao contrário do bibliômano machadiano que se contenta com a posse solitária do livro, esses bibliófilos compartilharam seus achados, hoje disponíveis ao público.”

sábado, 13 de outubro de 2018

USP tem 21 finalistas no Prêmio Jabuti - Ganhadores do principal prêmio literário brasileiro serão anunciados em 8 de novembro


Em sua 60ª edição, o Prêmio Jabuti tem entre as obras finalistas 21 títulos vinculados à Universidade de São Paulo. São livros da Editora da USP (Edusp) e de pesquisadores da instituição. Os vencedores em cada categoria serão anunciados pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), que concede a honraria, no dia 8 de novembro.

A Edusp está presente na lista dos livros classificados com seis obras. O Corego: Texto Anônimo do Século XVII sobre a Arte da Encenação concorre na categoria Capa (Eixo Livro), com arte de Carla Fernanda Fontana. Já A Erótica Japonesa na Pintura & na Escritura dos Séculos XVII a XIX é finalista na categoria Projeto Gráfico (Eixo Livro), cujo responsável é Gustavo Piqueira, da Casa Rex. Na categoria Tradução (Eixo Literatura), a editora conta com Poemas, com tradução de Geraldo Holanda Cavalcanti.

Em São Paulo, projeto da USP empresta insetários para escolas públicas

 Marcos Santos/USP Imagens


Quem já passeou com uma criança ao ar livre sabe bem: pouca coisa prende tanto a atenção dos pequenos quanto os animais, sejam os mais simples ou os mais complexos. Um professor do Instituto de Biociências (IB) da USP, em São Paulo, criou um projeto que aproveita esse interesse natural para complementar o aprendizado.
O Insetos na Escola é um serviço gratuito que empresta coleções de insetos para professores da rede pública, que podem usá-los para trabalhar diferentes temas da biologia com alunos de todas as idades. Para solicitar, é necessário preencher um formulário agendando a data de retirada. O prazo de empréstimo é de até sete dias corridos, e o próprio professor solicitante deve fazer a retirada e depois devolver os insetários no Departamento de Zoologia do IB, no campus Cidade Universitária, em São Paulo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

PPGCA - Mais um curso da UESC com conceito 5 da Capes

O Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, níveis Mestrado e Doutorado acadêmicos, com sede na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus (Ba), foi avaliado com o conceito 5 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
De acordo com a professora Dra Renata Santiago Alberto Carlos, coordenadora do PPGCA, com o conceito 5 o Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, da UESC é considerado um curso de excelência no Brasil.
O curso tem como missão a qualificação de profissionais de alto nível com formação técnica e científica, habilitados à docência de nível superior e à pesquisa científica na área de Ciência Animal.
O seu objetivo é promover a formação científica e o desenvolvimento da capacidade de pesquisa nos diferentes ramos das Ciências Agrárias. testar alimentos alternativos disponíveis na região visando o aproveitamento de resíduos industriais; e estudar o processo agente etiológico-doença-ambiente em animais de produção, companhia e silvestres.
Outras áreas de abrangência do PPGCA: estudar os principais aspectos que afetam a sanidade animal, promover a busca de novas tecnologias e elucidação de problemas técnicos na produção e sanidade animal, em auxílio aos interesses regionais e aos programas de órgãos e agências vinculados ao Estado, atender a demanda existente para formação de recursos humanos ao nível de Mestrado e possibilitar que a região Sul do Bahia se torne um centro de produção, difusão de tecnologia e conhecimento em ciência animal.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Gamebook de ciências permite a leitor-jogador decidir o desfecho da história

Tela do jogo Mistério do Sr. Gratus, desenvolvido por centro de pesquisa da USP – Foto: Reprodução/Google Play

Equilíbrio ecológico, evolução e inflamação são temas comumente trabalhados em sala de aula. Mas e se os estudantes tivessem uma ferramenta mais divertida para entender esses e outros assuntos relacionados à ciência? Essa é a proposta de O Mistério do Sr. Gratus, um gamebook digital desenvolvido pelo Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid) e pela StoryMax com o apoio do Instituto de Estudos Avançados – Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Galinha Pulando lança antologia “Poéticas periféricas: novas vozes da poesia soteropolitana”

A antologia “Poéticas periféricas: novas vozes da poesia soteropolitana”, reúne textos de poetas da periferia de Salvador-BA e será lançada no dia 12 de outubro de 2018 (sexta-feira), das 19 às 20:30hs, no restaurante Dom Pepe (antigo Pouso da Palavra), na praça da Aclamação, Cachoeira-BA, durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira – FLICA. O evento acontece na programação da editora Cogito e Ligia Benigo Produção Cultural.
Contemplado pelo Calendário das Artes da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), o livro reúne cerca de 100 autores e é resultado do trabalho coletivo de vários protagonistas de saraus, slams, grupos e coletivos de artistas da palavra, oriundos das periferias de Salvador. Textos de apresentação: Tia Má, Dhay Borges e Geilson dos Reis. Capa de Marcos Paulo Silva e Alisson Chaplin. A juventude da Bahia ocupa o centro e os bairros de Salvador como nunca antes na história, em luta, através da poesia, por espaço na cena literária e contra as opressões como racismo, genocídio dos jovens negros, intolerância religiosa etc. São centenas de grupos de saraus que recitam em ônibus, praças, esquinas. Este livro é uma compilação de parte dessa produção poética.
Participam do livro poetas dos coletivos Sarau da Onça, Slam da Soronha, Sarau do Gheto, Sarau do Jaca, Sarau do Cabrito, Coletivo Cabeça, Sarau do Gato Preto, A Tu Ar, Sarau da Laje, Zeferinas, Sarau Arte Livre, Slam da Quadra, Sarau Urbano, Coletivo Boca Quente, Coletivo Pé Descalço, Coletivo G13, Resistência Poética, Poeta com P de Preto, Slam das Minas, Coletivo Nosso Palco, Coletivo Pega Visão, Cine Sindicato, A Currute Poesias, CEPA Jovem, A Pombagem, Sarau Enegrescência, dentre outros.
71 99345 5255 – Valdeck – poeta.baiano@gmail.com
71 98655 6882 – Renata – rimet.r@gmail.com

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Livro indicado pela Fuvest, “Claro Enigma” dialoga com Dante e Camões


Drummond, em Claro Enigma, se torna mais introspectivo, melancólico e filosófico, naquele momento de crise política e existencial após a Segunda Guerra Mundial e sob o impacto da Guerra Fria e a ameaça da bomba atômica – Foto: Reprodução/Youtube.
.
Em 1951, Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) publica Claro Enigma. Em seu sétimo livro de poesia, apresenta 41 poemas escritos entre o final dos anos 40 e o início dos 50. Sob o impacto da Guerra Fria e a ameaça da bomba atômica, o poeta engajado de Sentimento do Mundo (1940) e A Rosa do Povo (1945) abre espaço para um Drummond mais introspectivo, melancólico e filosófico. A esperança na união dos homens dá lugar ao desencanto e, em vez de propor transformações, o poeta elabora perguntas a partir do absurdo do mundo e do vazio da vida.

SÓ DÓI QUANDO PENSO


segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Campus de Bauru promove a exposição “Retrospectiva”

Momento de Descanso, óleo sobre tela, de Vera Lúcia Dian Martin– Foto: Giane Quintela

Retrospectiva é o nome da exposição de Vera Lúcia Dian Martin em exibição na Biblioteca da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP.
A mostra integra o Projeto Atelier & Arte, promovido pela Seção de Eventos Culturais da Prefeitura do Campus USP de Bauru (PUSP-B) e pode ser vista na biblioteca até o dia 5 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 22 horas, e aos sábados, das 9 às 12 horas.

ODEIO DEBATE...


domingo, 30 de setembro de 2018

“Vidas Secas” denuncia o descaso social e a exploração humana

O romance conta a história de uma família de retirantes do sertão brasileiro.
Fotomontagem sobre imagem de uma das diversas capas de Vidas Secas (personagens) e Paisagem de caatinga, de Glauco Umbelino via Wikimedia Commons





Em dois breves parágrafos – os que abrem o primeiro capítulo, Mudança –, o alagoano Graciliano Ramos sintetiza Vidas Secas. Descreve o cenário e apresenta a saga da cachorra Baleia, da mãe Sinha Vitória, do pai Fabiano e de seus dois filhos, que, no decorrer da história, são chamados de “mais novo” e “mais velho”. Sem nome e sobrenome, eles carregam a “identidade” das famílias que ainda hoje vivem o descaso social e a exploração humana no País.
Thiago Mio Salla – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Na planície avermelhada os juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos. Ordinariamente andavam pouco, mas como haviam repousado bastante na areia do rio seco, a viagem progredira bem três léguas. Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Ziraldo internado em estado grave no Rio



Ziraldo é cartunista, desenhista, jornalista, cronista, chargista, pintor e dramaturgo brasileiro. Ele é o criador do personagem de quadrinhos infantil Menino Maluquinho. Foi um dos fundadores do jornal O Pasquim, que fez muito sucesso com suas entrevistas e humor crítico durante o regime militar.
O cartunista nasceu em Caratinga, Minas Gerais, no dia 24 de outubro de 1932. Seu nome vem da combinação dos nomes de sua mãe, Zizinha e o de seu pai Geraldo. Desde criança já mostrava seu talento para o desenho. Com seis anos, teve um desenho seu publicado no jornal Folha de Minas.
Ziraldo estudou no Grupo Escolar Princesa Isabel. Em 1949 foi com a avó para o Rio de Janeiro, onde estudou por dois anos no Mabe (Moderna Associação de Ensino). Em 1950, retornou para Caratinga e concluiu o científico no Colégio Nossa Senhora das Graças.
Portugal Digital com Agência Brasil

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Patrimônio imaterial do Brasil, literatura de cordel ajuda cidadão a compreender leis



Mais novo patrimônio imaterial do Brasil, a literatura de cordel tem sido instrumento de conscientização e cidadania na difusão de propostas aprovadas na Câmara dos Deputados. Versos populares – em sextilhas, martelo agalopado, meia quadra ou em outras métricas – já ajudaram, por exemplo, a popularizar a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06).

O cordelista cearense Tião Simpatia usou essa arte para divulgar os principais pontos da lei de combate à violência contra a mulher:

"Segundo o artigo quinto, esses tipos de violência / Dão-se em diversos âmbitos. / Porém, é na residência / Que a violência doméstica tem sua maior incidência. / E quem pode ser enquadrado como agente agressor? / Marido ou companheiro, namorado ou ex-amor. / No caso de uma doméstica, pode ser o empregador."

A tramitação da proposta de emenda à Constituição (PEC 478/10) que reconheceu uma série de direitos trabalhistas para as domésticas também mereceu versos em forma de cordel:

"Ser doméstica, ninguém sabe, / Mas não é fácil esse papel, não. / Doméstica tem que sonhar".

VAI SER ASSIM?

Quando a bíblia perde a utilidade...

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Exposição inédita traz raridades de Machado de Assis

No total, a exposição traz 108 itens, incluindo 17 periódicos com textos de Machado de Assis e 40 obras coletadas postumamente por pesquisadores – Foto: Divulgação / PRCEU – USP

.
A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP apresenta, de 28 de setembro a 22 de novembro, a exposição inédita e gratuita Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades. Nesta quinta-feira, dia 27, ao meio-dia, será realizada a abertura da mostra, com a apresentação de peças de Ernesto Nazareth em solo de piano e uma mesa-redonda com especialistas.

Com o objetivo de destacar a amplitude e variedade da obra de Machado de Assis, a mostra conta com livros, jornais e revistas com escritos machadianos. Parte do material será disponibilizada em tablets, para que o visitante veja os detalhes das obras raras.

A Revista Moderna, que circulou no Brasil no final do século 19 – Foto: Divulgação / PRCEU – USP (Clique na imagem para ampliar)

Ao todo são 108 itens, incluindo 17 periódicos com textos de Assis e 40 obras coletadas postumamente por pesquisadores. A seleção convida o visitante a conhecer outra faceta do escritor, que teve uma carreira de mais de 50 anos, na qual atuou em dezenas de jornais e revistas.

A maioria de seus textos foi publicada pela primeira vez na imprensa antes de encontrar o formato mais perene do livro, em uma variedade de gêneros, como poesia, crítica literária e teatral, conto, romance e correspondências.

A curadoria é do professor Hélio de Seixas Guimarães, pesquisador da área de literatura brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Ele trabalhou três anos no projeto, investigando o acervo da BBM, que inclui todas as primeiras – e raras – edições dos livros de Machado de Assis.

Anúncio de obras de Machado de Assis para venda – Foto: Divulgação / PRCEU – USP (Clique na imagem para ampliar)

“Alguns exemplares são muito singulares, por trazerem dedicatórias de Machado de Assis a figuras importantes do seu tempo, como Salvador de Mendonça, José Veríssimo e Joaquim Nabuco”, ressalta o pesquisador. “Em alguns casos, pelas dedicatórias é possível recompor a trajetória do exemplar, que passou por vários proprietários”, indica.
O curador aponta ainda outros destaques da mostra: “Estará exposta uma edição do livro Poesias Completas, bastante cobiçada por colecionadores por conter um famoso erro tipográfico que formou uma ‘palavra feia’. Outra curiosidade é ver as Memórias Póstumas de Brás Cubas, que geralmente associamos ao formato do livro, em sua primeira publicação nas páginas da Revista Brasileira”.
A exposição pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30. A BBM fica na Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária. Mais informações e agendamento educativo para grupos podem ser encontrados no site bbm.usp.br.
A exposição Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades fica em cartaz de 28 de setembro a 22 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP (Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. Mais informações podem ser obtidas no site da BBM.

Michel Sitnik

domingo, 23 de setembro de 2018

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” observa a condição humana



Arte Jornal da USP sobre foto Wikimedia Commons – CC 

Por Leila Kiyomur


Ler Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, não é apenas uma mera exigência do vestibular da Fuvest. É adentrar um universo que vai além da academia, uma oportunidade de conhecer um dos livros mais importantes da literatura universal e observar o homem com suas dúvidas, certezas, paixões, medos. Dialogar com Machado de Assis pode não ser tarefa fácil para os jovens que almejam uma vaga na universidade pública. Mas há a possibilidade de conversar com um autor que estimula a inteligência do leitor.O professor Hélio de Seixas Guimarães: livro desafiador e fascinante – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Facebook tem queda na disseminação de fake news, aponta estudo



Jonas Valente, Agência Brasil - Interações com perfis disseminadores de notícias falsas caíram no Facebook nos últimos dois anos, mas cresceram no Twitter, segundo um artigo publicado por pesquisadores em um estudo sobre desinformação da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Os autores analisaram 570 sites dos Estados Unidos classificados por eles como produtores de conteúdo falso entre janeiro de 2015 e julho de 2018. As fontes de conteúdos falsos foram comparados com páginas e perfis de veículos tradicionais e pequenos de mídia bem como de cobertura segmentada em temas como negócios e cultura.
Segundo a análise, o engajamento (likes, compartilhamentos e comentários) com mensagens desses sites cresceu entre janeiro de 2015 e os meses finais de 2016, logo após as eleições presidenciais dos Estados Unidos. O grupo de sites estudado teve nível de engajamento semelhante às 38 principais páginas de mídia verificadas na pesquisa.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

O que faz da relatividade a teoria mais famosa do mundo?

Cartaz de divulgação do Instituto de Física da USP

Nos meses de setembro e outubro será realizada a primeira edição do curso Einstein e o jogo da relatividade. Idealizado pela professora Fabiana Kneubil, do Instituto de Física (IF) da USP, o curso é gratuito e voltado para estudantes de ensino médio.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Prefeito de São Luiz entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipais

Prefeito Edivaldo entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipaisCompreendendo a importância da leitura no processo de ensino-aprendizagem, o prefeito Edivaldo tem investido na revitalização e na implantação de bibliotecas nas escolas da rede municipal. Por meio desse trabalho, a gestão reforça o compromisso com a qualificação do ensino e a ampliação do acesso à leitura aos estudantes. A ação integra as políticas públicas voltadas ao setor e implementadas na gestão do prefeito Edivaldo que, por meio do programa Educar Mais, tem investido na requalificação de prédios escolares bem como na reestruturação da rede de ensino como um todo e na qualificação de professores. A entrega das bibliotecas faz parte de uma série de ações executadas pela Prefeitura dentro da programação de aniversário dos 406 anos de São Luís.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Livro discute a imagem na fotografia, no cinema e na pintura


Imagens de filmes de Lars von Trier, comentadas no livro Imagem & História: Ondas do Destino (Breaking the Waves, 1996, Zentropa Entertainments), Anticristo (Antichrist, 2009, Zentropa Entertainments) e Melancolia (Melancholia, 2011, Zentropa Entertainments)

.
O livro Imagem & História, lançamento da Editora Beca, traz um debate necessário sobre a utilização da imagem no âmbito da pintura, fotografia, cinema, dança e também na literatura. Os organizadores Marcos Fabris e Patrícia Kruger são pós-doutores pela USP, com pesquisas realizadas no Museu de Arte Contemporânea (MAC) e na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Especialistas no estudo da fotografia e da imagem, partilham com o leitor uma investigação da construção imagética que vai muito além das noções convencionais de representação.

Noventa anos de “Macunaíma”

José de Paula Ramos – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Do prelo do Estabelecimento Gráfico Eugenio Cupulo, no dia 26 de julho de 1928, veio à luz Macunaíma, a rapsódia do “herói sem nenhum caráter”. A tiragem de 800 exemplares, paga pelo autor, apresentava-se em folhas de papel de baixa qualidade, encadernadas numa brochura modesta. Mário de Andrade encarregou-se da distribuição da obra em livrarias e bibliotecas, com a colaboração de amigos.

A imprensa divulgou amplamente o livro. Só até dezembro de 1928, foram publicados ao menos treze resenhas, artigos ou ensaios em periódicos de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, assinados por célebres veteranos, como Nestor Vítor e João Ribeiro, críticos de grande prestígio, como Tristão de Ataíde (Alceu Amoroso Lima), bem como por autores que talvez fossem menos (re)conhecidos na época, mas vieram a ser famosos (Oswald de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Ascenso Ferreira, entre outros). Algumas dessas apreciações mostram-se um tanto inseguras, a tatear em terreno movediço; outras se manifestam como francamente adversas, por rejeitarem tanto a proposta estética modernista quanto os significados sugeridos pela obra; há, também, aquelas que saudaram Macunaíma como um divisor de águas na história da literatura brasileira, uma obra-prima a apontar novos e fecundos caminhos a percorrer.