segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Exposição destaca edições raras de Machado de Assis


Machado de Assis – Foto: Academia Brasileira de Letras
A exposição revela a grande variedade e a amplitude da trajetória de Machado de Assis como escritor. O leitor de Machado de Assis, considerado o maior romancista brasileiro, tem um encontro inusitado com Memórias Póstumas de Brás Cubas, Dom Casmurro, Quincas Borba e outras obras-primas da literatura brasileira. E, além de ver edições raras dessas obras, vai conhecer o cotidiano do jornalista Machado de Assis escrevendo para periódicos de sua época. A dimensão sensível do contista brilhante e do crítico respeitado está na exposição Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades, em cartaz na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP. A curadoria é do professor Hélio de Seixas Guimarães, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que, há três anos, vem desenvolvendo pesquisas sobre Machado de Assis no acervo da BBM.“A decisão de realizar esta exposição veio do contato com esse material e pela constatação de que se trata de um conjunto não só importante, mas extraordinário e absolutamente singular”, observa Guimarães. “Esse conjunto é composto não só de primeiras edições, mas de exemplares únicos, colecionados por Rubens Borba de Moraes e José Mindlin em décadas de criterioso garimpo. Ao contrário do bibliômano machadiano que se contenta com a posse solitária do livro, esses bibliófilos compartilharam seus achados, hoje disponíveis ao público.”

sábado, 13 de outubro de 2018

USP tem 21 finalistas no Prêmio Jabuti - Ganhadores do principal prêmio literário brasileiro serão anunciados em 8 de novembro


Em sua 60ª edição, o Prêmio Jabuti tem entre as obras finalistas 21 títulos vinculados à Universidade de São Paulo. São livros da Editora da USP (Edusp) e de pesquisadores da instituição. Os vencedores em cada categoria serão anunciados pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), que concede a honraria, no dia 8 de novembro.

A Edusp está presente na lista dos livros classificados com seis obras. O Corego: Texto Anônimo do Século XVII sobre a Arte da Encenação concorre na categoria Capa (Eixo Livro), com arte de Carla Fernanda Fontana. Já A Erótica Japonesa na Pintura & na Escritura dos Séculos XVII a XIX é finalista na categoria Projeto Gráfico (Eixo Livro), cujo responsável é Gustavo Piqueira, da Casa Rex. Na categoria Tradução (Eixo Literatura), a editora conta com Poemas, com tradução de Geraldo Holanda Cavalcanti.

Em São Paulo, projeto da USP empresta insetários para escolas públicas

 Marcos Santos/USP Imagens


Quem já passeou com uma criança ao ar livre sabe bem: pouca coisa prende tanto a atenção dos pequenos quanto os animais, sejam os mais simples ou os mais complexos. Um professor do Instituto de Biociências (IB) da USP, em São Paulo, criou um projeto que aproveita esse interesse natural para complementar o aprendizado.
O Insetos na Escola é um serviço gratuito que empresta coleções de insetos para professores da rede pública, que podem usá-los para trabalhar diferentes temas da biologia com alunos de todas as idades. Para solicitar, é necessário preencher um formulário agendando a data de retirada. O prazo de empréstimo é de até sete dias corridos, e o próprio professor solicitante deve fazer a retirada e depois devolver os insetários no Departamento de Zoologia do IB, no campus Cidade Universitária, em São Paulo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

PPGCA - Mais um curso da UESC com conceito 5 da Capes

O Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, níveis Mestrado e Doutorado acadêmicos, com sede na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus (Ba), foi avaliado com o conceito 5 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
De acordo com a professora Dra Renata Santiago Alberto Carlos, coordenadora do PPGCA, com o conceito 5 o Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, da UESC é considerado um curso de excelência no Brasil.
O curso tem como missão a qualificação de profissionais de alto nível com formação técnica e científica, habilitados à docência de nível superior e à pesquisa científica na área de Ciência Animal.
O seu objetivo é promover a formação científica e o desenvolvimento da capacidade de pesquisa nos diferentes ramos das Ciências Agrárias. testar alimentos alternativos disponíveis na região visando o aproveitamento de resíduos industriais; e estudar o processo agente etiológico-doença-ambiente em animais de produção, companhia e silvestres.
Outras áreas de abrangência do PPGCA: estudar os principais aspectos que afetam a sanidade animal, promover a busca de novas tecnologias e elucidação de problemas técnicos na produção e sanidade animal, em auxílio aos interesses regionais e aos programas de órgãos e agências vinculados ao Estado, atender a demanda existente para formação de recursos humanos ao nível de Mestrado e possibilitar que a região Sul do Bahia se torne um centro de produção, difusão de tecnologia e conhecimento em ciência animal.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Gamebook de ciências permite a leitor-jogador decidir o desfecho da história

Tela do jogo Mistério do Sr. Gratus, desenvolvido por centro de pesquisa da USP – Foto: Reprodução/Google Play

Equilíbrio ecológico, evolução e inflamação são temas comumente trabalhados em sala de aula. Mas e se os estudantes tivessem uma ferramenta mais divertida para entender esses e outros assuntos relacionados à ciência? Essa é a proposta de O Mistério do Sr. Gratus, um gamebook digital desenvolvido pelo Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid) e pela StoryMax com o apoio do Instituto de Estudos Avançados – Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Galinha Pulando lança antologia “Poéticas periféricas: novas vozes da poesia soteropolitana”

A antologia “Poéticas periféricas: novas vozes da poesia soteropolitana”, reúne textos de poetas da periferia de Salvador-BA e será lançada no dia 12 de outubro de 2018 (sexta-feira), das 19 às 20:30hs, no restaurante Dom Pepe (antigo Pouso da Palavra), na praça da Aclamação, Cachoeira-BA, durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira – FLICA. O evento acontece na programação da editora Cogito e Ligia Benigo Produção Cultural.
Contemplado pelo Calendário das Artes da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBA), o livro reúne cerca de 100 autores e é resultado do trabalho coletivo de vários protagonistas de saraus, slams, grupos e coletivos de artistas da palavra, oriundos das periferias de Salvador. Textos de apresentação: Tia Má, Dhay Borges e Geilson dos Reis. Capa de Marcos Paulo Silva e Alisson Chaplin. A juventude da Bahia ocupa o centro e os bairros de Salvador como nunca antes na história, em luta, através da poesia, por espaço na cena literária e contra as opressões como racismo, genocídio dos jovens negros, intolerância religiosa etc. São centenas de grupos de saraus que recitam em ônibus, praças, esquinas. Este livro é uma compilação de parte dessa produção poética.
Participam do livro poetas dos coletivos Sarau da Onça, Slam da Soronha, Sarau do Gheto, Sarau do Jaca, Sarau do Cabrito, Coletivo Cabeça, Sarau do Gato Preto, A Tu Ar, Sarau da Laje, Zeferinas, Sarau Arte Livre, Slam da Quadra, Sarau Urbano, Coletivo Boca Quente, Coletivo Pé Descalço, Coletivo G13, Resistência Poética, Poeta com P de Preto, Slam das Minas, Coletivo Nosso Palco, Coletivo Pega Visão, Cine Sindicato, A Currute Poesias, CEPA Jovem, A Pombagem, Sarau Enegrescência, dentre outros.
71 99345 5255 – Valdeck – poeta.baiano@gmail.com
71 98655 6882 – Renata – rimet.r@gmail.com

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Livro indicado pela Fuvest, “Claro Enigma” dialoga com Dante e Camões


Drummond, em Claro Enigma, se torna mais introspectivo, melancólico e filosófico, naquele momento de crise política e existencial após a Segunda Guerra Mundial e sob o impacto da Guerra Fria e a ameaça da bomba atômica – Foto: Reprodução/Youtube.
.
Em 1951, Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) publica Claro Enigma. Em seu sétimo livro de poesia, apresenta 41 poemas escritos entre o final dos anos 40 e o início dos 50. Sob o impacto da Guerra Fria e a ameaça da bomba atômica, o poeta engajado de Sentimento do Mundo (1940) e A Rosa do Povo (1945) abre espaço para um Drummond mais introspectivo, melancólico e filosófico. A esperança na união dos homens dá lugar ao desencanto e, em vez de propor transformações, o poeta elabora perguntas a partir do absurdo do mundo e do vazio da vida.

SÓ DÓI QUANDO PENSO


segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Campus de Bauru promove a exposição “Retrospectiva”

Momento de Descanso, óleo sobre tela, de Vera Lúcia Dian Martin– Foto: Giane Quintela

Retrospectiva é o nome da exposição de Vera Lúcia Dian Martin em exibição na Biblioteca da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP.
A mostra integra o Projeto Atelier & Arte, promovido pela Seção de Eventos Culturais da Prefeitura do Campus USP de Bauru (PUSP-B) e pode ser vista na biblioteca até o dia 5 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 22 horas, e aos sábados, das 9 às 12 horas.

ODEIO DEBATE...


domingo, 30 de setembro de 2018

“Vidas Secas” denuncia o descaso social e a exploração humana

O romance conta a história de uma família de retirantes do sertão brasileiro.
Fotomontagem sobre imagem de uma das diversas capas de Vidas Secas (personagens) e Paisagem de caatinga, de Glauco Umbelino via Wikimedia Commons





Em dois breves parágrafos – os que abrem o primeiro capítulo, Mudança –, o alagoano Graciliano Ramos sintetiza Vidas Secas. Descreve o cenário e apresenta a saga da cachorra Baleia, da mãe Sinha Vitória, do pai Fabiano e de seus dois filhos, que, no decorrer da história, são chamados de “mais novo” e “mais velho”. Sem nome e sobrenome, eles carregam a “identidade” das famílias que ainda hoje vivem o descaso social e a exploração humana no País.
Thiago Mio Salla – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Na planície avermelhada os juazeiros alargavam duas manchas verdes. Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos. Ordinariamente andavam pouco, mas como haviam repousado bastante na areia do rio seco, a viagem progredira bem três léguas. Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Ziraldo internado em estado grave no Rio



Ziraldo é cartunista, desenhista, jornalista, cronista, chargista, pintor e dramaturgo brasileiro. Ele é o criador do personagem de quadrinhos infantil Menino Maluquinho. Foi um dos fundadores do jornal O Pasquim, que fez muito sucesso com suas entrevistas e humor crítico durante o regime militar.
O cartunista nasceu em Caratinga, Minas Gerais, no dia 24 de outubro de 1932. Seu nome vem da combinação dos nomes de sua mãe, Zizinha e o de seu pai Geraldo. Desde criança já mostrava seu talento para o desenho. Com seis anos, teve um desenho seu publicado no jornal Folha de Minas.
Ziraldo estudou no Grupo Escolar Princesa Isabel. Em 1949 foi com a avó para o Rio de Janeiro, onde estudou por dois anos no Mabe (Moderna Associação de Ensino). Em 1950, retornou para Caratinga e concluiu o científico no Colégio Nossa Senhora das Graças.
Portugal Digital com Agência Brasil

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Patrimônio imaterial do Brasil, literatura de cordel ajuda cidadão a compreender leis



Mais novo patrimônio imaterial do Brasil, a literatura de cordel tem sido instrumento de conscientização e cidadania na difusão de propostas aprovadas na Câmara dos Deputados. Versos populares – em sextilhas, martelo agalopado, meia quadra ou em outras métricas – já ajudaram, por exemplo, a popularizar a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06).

O cordelista cearense Tião Simpatia usou essa arte para divulgar os principais pontos da lei de combate à violência contra a mulher:

"Segundo o artigo quinto, esses tipos de violência / Dão-se em diversos âmbitos. / Porém, é na residência / Que a violência doméstica tem sua maior incidência. / E quem pode ser enquadrado como agente agressor? / Marido ou companheiro, namorado ou ex-amor. / No caso de uma doméstica, pode ser o empregador."

A tramitação da proposta de emenda à Constituição (PEC 478/10) que reconheceu uma série de direitos trabalhistas para as domésticas também mereceu versos em forma de cordel:

"Ser doméstica, ninguém sabe, / Mas não é fácil esse papel, não. / Doméstica tem que sonhar".

VAI SER ASSIM?

Quando a bíblia perde a utilidade...

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Exposição inédita traz raridades de Machado de Assis

No total, a exposição traz 108 itens, incluindo 17 periódicos com textos de Machado de Assis e 40 obras coletadas postumamente por pesquisadores – Foto: Divulgação / PRCEU – USP

.
A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP apresenta, de 28 de setembro a 22 de novembro, a exposição inédita e gratuita Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades. Nesta quinta-feira, dia 27, ao meio-dia, será realizada a abertura da mostra, com a apresentação de peças de Ernesto Nazareth em solo de piano e uma mesa-redonda com especialistas.

Com o objetivo de destacar a amplitude e variedade da obra de Machado de Assis, a mostra conta com livros, jornais e revistas com escritos machadianos. Parte do material será disponibilizada em tablets, para que o visitante veja os detalhes das obras raras.

A Revista Moderna, que circulou no Brasil no final do século 19 – Foto: Divulgação / PRCEU – USP (Clique na imagem para ampliar)

Ao todo são 108 itens, incluindo 17 periódicos com textos de Assis e 40 obras coletadas postumamente por pesquisadores. A seleção convida o visitante a conhecer outra faceta do escritor, que teve uma carreira de mais de 50 anos, na qual atuou em dezenas de jornais e revistas.

A maioria de seus textos foi publicada pela primeira vez na imprensa antes de encontrar o formato mais perene do livro, em uma variedade de gêneros, como poesia, crítica literária e teatral, conto, romance e correspondências.

A curadoria é do professor Hélio de Seixas Guimarães, pesquisador da área de literatura brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Ele trabalhou três anos no projeto, investigando o acervo da BBM, que inclui todas as primeiras – e raras – edições dos livros de Machado de Assis.

Anúncio de obras de Machado de Assis para venda – Foto: Divulgação / PRCEU – USP (Clique na imagem para ampliar)

“Alguns exemplares são muito singulares, por trazerem dedicatórias de Machado de Assis a figuras importantes do seu tempo, como Salvador de Mendonça, José Veríssimo e Joaquim Nabuco”, ressalta o pesquisador. “Em alguns casos, pelas dedicatórias é possível recompor a trajetória do exemplar, que passou por vários proprietários”, indica.
O curador aponta ainda outros destaques da mostra: “Estará exposta uma edição do livro Poesias Completas, bastante cobiçada por colecionadores por conter um famoso erro tipográfico que formou uma ‘palavra feia’. Outra curiosidade é ver as Memórias Póstumas de Brás Cubas, que geralmente associamos ao formato do livro, em sua primeira publicação nas páginas da Revista Brasileira”.
A exposição pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30. A BBM fica na Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária. Mais informações e agendamento educativo para grupos podem ser encontrados no site bbm.usp.br.
A exposição Machado de Assis na BBM: Primeiras Edições e Raridades fica em cartaz de 28 de setembro a 22 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP (Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária, em São Paulo). Entrada grátis. Mais informações podem ser obtidas no site da BBM.

Michel Sitnik

domingo, 23 de setembro de 2018

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” observa a condição humana



Arte Jornal da USP sobre foto Wikimedia Commons – CC 

Por Leila Kiyomur


Ler Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, não é apenas uma mera exigência do vestibular da Fuvest. É adentrar um universo que vai além da academia, uma oportunidade de conhecer um dos livros mais importantes da literatura universal e observar o homem com suas dúvidas, certezas, paixões, medos. Dialogar com Machado de Assis pode não ser tarefa fácil para os jovens que almejam uma vaga na universidade pública. Mas há a possibilidade de conversar com um autor que estimula a inteligência do leitor.O professor Hélio de Seixas Guimarães: livro desafiador e fascinante – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Facebook tem queda na disseminação de fake news, aponta estudo



Jonas Valente, Agência Brasil - Interações com perfis disseminadores de notícias falsas caíram no Facebook nos últimos dois anos, mas cresceram no Twitter, segundo um artigo publicado por pesquisadores em um estudo sobre desinformação da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Os autores analisaram 570 sites dos Estados Unidos classificados por eles como produtores de conteúdo falso entre janeiro de 2015 e julho de 2018. As fontes de conteúdos falsos foram comparados com páginas e perfis de veículos tradicionais e pequenos de mídia bem como de cobertura segmentada em temas como negócios e cultura.
Segundo a análise, o engajamento (likes, compartilhamentos e comentários) com mensagens desses sites cresceu entre janeiro de 2015 e os meses finais de 2016, logo após as eleições presidenciais dos Estados Unidos. O grupo de sites estudado teve nível de engajamento semelhante às 38 principais páginas de mídia verificadas na pesquisa.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

O que faz da relatividade a teoria mais famosa do mundo?

Cartaz de divulgação do Instituto de Física da USP

Nos meses de setembro e outubro será realizada a primeira edição do curso Einstein e o jogo da relatividade. Idealizado pela professora Fabiana Kneubil, do Instituto de Física (IF) da USP, o curso é gratuito e voltado para estudantes de ensino médio.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Prefeito de São Luiz entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipais

Prefeito Edivaldo entrega bibliotecas móveis e incentiva leitura em escolas municipaisCompreendendo a importância da leitura no processo de ensino-aprendizagem, o prefeito Edivaldo tem investido na revitalização e na implantação de bibliotecas nas escolas da rede municipal. Por meio desse trabalho, a gestão reforça o compromisso com a qualificação do ensino e a ampliação do acesso à leitura aos estudantes. A ação integra as políticas públicas voltadas ao setor e implementadas na gestão do prefeito Edivaldo que, por meio do programa Educar Mais, tem investido na requalificação de prédios escolares bem como na reestruturação da rede de ensino como um todo e na qualificação de professores. A entrega das bibliotecas faz parte de uma série de ações executadas pela Prefeitura dentro da programação de aniversário dos 406 anos de São Luís.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Livro discute a imagem na fotografia, no cinema e na pintura


Imagens de filmes de Lars von Trier, comentadas no livro Imagem & História: Ondas do Destino (Breaking the Waves, 1996, Zentropa Entertainments), Anticristo (Antichrist, 2009, Zentropa Entertainments) e Melancolia (Melancholia, 2011, Zentropa Entertainments)

.
O livro Imagem & História, lançamento da Editora Beca, traz um debate necessário sobre a utilização da imagem no âmbito da pintura, fotografia, cinema, dança e também na literatura. Os organizadores Marcos Fabris e Patrícia Kruger são pós-doutores pela USP, com pesquisas realizadas no Museu de Arte Contemporânea (MAC) e na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Especialistas no estudo da fotografia e da imagem, partilham com o leitor uma investigação da construção imagética que vai muito além das noções convencionais de representação.

Noventa anos de “Macunaíma”

José de Paula Ramos – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Do prelo do Estabelecimento Gráfico Eugenio Cupulo, no dia 26 de julho de 1928, veio à luz Macunaíma, a rapsódia do “herói sem nenhum caráter”. A tiragem de 800 exemplares, paga pelo autor, apresentava-se em folhas de papel de baixa qualidade, encadernadas numa brochura modesta. Mário de Andrade encarregou-se da distribuição da obra em livrarias e bibliotecas, com a colaboração de amigos.

A imprensa divulgou amplamente o livro. Só até dezembro de 1928, foram publicados ao menos treze resenhas, artigos ou ensaios em periódicos de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, assinados por célebres veteranos, como Nestor Vítor e João Ribeiro, críticos de grande prestígio, como Tristão de Ataíde (Alceu Amoroso Lima), bem como por autores que talvez fossem menos (re)conhecidos na época, mas vieram a ser famosos (Oswald de Andrade, Antônio de Alcântara Machado, Ascenso Ferreira, entre outros). Algumas dessas apreciações mostram-se um tanto inseguras, a tatear em terreno movediço; outras se manifestam como francamente adversas, por rejeitarem tanto a proposta estética modernista quanto os significados sugeridos pela obra; há, também, aquelas que saudaram Macunaíma como um divisor de águas na história da literatura brasileira, uma obra-prima a apontar novos e fecundos caminhos a percorrer.

Peça expõe o que é ser negro na periferia de São Paulo



Obra do dramaturgo Jé Oliveira presta tributo ao grupo de rap Racionais MC’s, que constitui um fator de conscientização do negro sobre sua condição racial, poder de resistência, luta e revide – Foto: Divulgação / André Murrer

“Eu durmo pronto pra guerra e eu não era assim/ Eu tenho ódio e sei o que é mau pra mim/ Fazer o que se é assim, vida loka cabulosa/ O cheiro é de pólvora, e eu prefiro rosas/ E eu que… e eu que sempre quis um lugar/ Gramado e limpo, assim, verde como o mar/ Cercas brancas, uma seringueira com balança/ Disbicando pipa, cercado de criança” (Mano Brown). Inspirada em relatos reais e na produção cultural de 12 homens negros, a peça-show Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens – que em 2017 recebeu o 6º Prêmio Questão de Crítica – dialoga com a obra do grupo brasileiro de rap Racionais MC’s para fazer pensar sobre a condição do negro na sociedade brasileira.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Escritora Rita Pinheiro e o poeta Valdeck Almeida de Jesus palestram na Colômbia

A Garimpeira da Cultura Rita Pinheiro e o articulador cultural Valdeck Almeida de Jesus participam da 16ª edição do Parlamento Internacional de Escritores da Colômbia (em homenagem a Emile Brönte), que acontece de 22 a 25 de agosto de 2018, em Cartagena das Índias, com exposição de livros, leitura de poemas e apresentações de recital.
Parlamento - O encontro faz homenagem a Alberto Llerena (Cartagena, 1944), José Luiz Díaz Granados (Santa Marta, 1946), Marco Tulio Aguilera Garramuño (Bogotá, 1949) e Félix Manzur Jattin (Lorica, 1951), que serão homenageados com a entrega do Livro de Ouro da Literatura Colombiana.
O XVI Parlamento Internacional de Escritores da Colômbia atualmente tem delegados por toda a Colômbia e diversos países, e é o evento acadêmico e literário de maior qualidade, maior atração entre os intelectuais do país e que realiza a maior projeção de Cartagena para o mundo. Declarado como de “Interesse Cultural” pelo Conselho de Cultura do Distrito de Cartagena, é cofinanciado pelo Instituto de Patrimônio e Cultura de Cartagena, Ministério da Cultura, Câmara de Comércio de Montería, Corporação Universitária do Caribe (CECAR), Instituição Tecnológica “Colégio Mayor de Bolívar”, Teatro Adolfo Mejía, assessoria da Cara de Cultura de Cartagena, Restaurante Las Indias Boutique Gormet, Casa Museo “Rafael Nuñez”, dentre outros. Maiores detalhes no link: http://parlamentodeescritores.blogspot.com

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Campus de São Carlos sedia exposição “Universo Colorido”

Obra de Claudio Rosante em exposição no Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP, em São Carlos – Foto: Divulgação / CDCC – USP
.
Até 31 de agosto, o Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) da USP, em São Carlos, sedia a exposição Universo Colorido, em sua Sala de Exposições.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Vencedores do concurso de ilustrações sobre a Lei Maria da Penha são premiados

O objetivo foi incentivar a discussão sobre a violência contra a mulher entre os jovens
A Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados entregou nesta terça-feira (7) os prêmios aos vencedores do 6º Concurso sobre a Lei Maria da Penha (11.340/06).

Antonio Araújo/Câmara dos Deputados

Concurso premiou neste ano as melhores ilustrações sobre o tema

Desde 2012, a Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados, em um convênio com o Banco Mundial e parceria com a Procuradoria Especial da Mulher do Senado, realiza o concurso cultural sobre a Lei Maria da Penha, já tendo premiado criações artísticas em diversos formatos, como filmes, canções e fotografias.
Neste ano, foram premiadas as melhores ilustrações sobre o empoderamento feminino como mecanismo de superação da violência.

sábado, 4 de agosto de 2018

Stan Lee: o precursor do monitoramento eletrônico



Por Iverson Kech Ferreira

Cansado de ver suas maquinações criminosas frustradas pelo herói, o Rei do Crime Wilson Grant Fisk (Kingpin), resolveu o problema com uma tecnologia a frente de seu tempo. Pensou então em uma forma a qual pudesse monitorar seu inimigo, vigiando seus passos e estrategicamente impedindo seus intentos de capturar o Rei em suas laboriosas tramoias criminosas.
Essa é a famosa cena dos quadrinhos de 1977 de Stan Lee, onde o Homem Aranha acaba sendo enganado pelo seu arquirrival, que não podendo subjugar o herói pela força, constrói em seus laboratórios aparato capaz de servir aos seus intentos de domínio sobre o inimigo.
Leia também:
As origens do monitoramento eletrônico (aqui)Na cena a frase do Rei deixa claro o poder de controle que teria, quando “nada seria capaz de removê-lo”, e “tenho o poder de ter sua localização assim que desejar.”

Dessa forma, os intuitos foram, mesmo que por determinado espaço de tempo (pois o herói sempre possui um nas mangas), alcançados. O Rei poderia perceber os caminhos que o aracnídeo percorria e planejar sua fuga, pois seu senso agora era mais aguçado que o sentido do Aranha.
Em 1977, quem lia esse quadrinho em um jornal local do Novo México, na cidade de Albuquerque, EUA, era o juiz de direito Jack Love. Em sua cidade, o problema na época era uma disfunção que atravessaria as bordas do tempo e chegaria onde hoje estamos: a superlotação carcerária, que já era uma realidade.

A criação de Stan Lee
O dispositivo criado por Stan Lee nos quadrinhos demonstrou ao juiz uma possibilidade: vigiar aqueles que seriam colocados nas prisões fartas por crimes entendidos por seu menor potencial ofensivo, cometidos por pequenos delinquentes, bêbados ocasionais e adolescentes.
Nesse sentido, o juiz Love precisava de uma justificativa. Redigiu artigos e reportagens feitas com o intuito de demonstrar que a prisão já era, naquela realidade vivida em 1977, um ambiente desfavorável ao pequeno salteador, que poderia a partir do rótulo de ex presidiário, perder sua reputação, emprego e possibilidades futuras.
Assim, logo após sua jornada escrita, resolveu procurar empresas que pudessem fabricar tal utensilio. Todavia, para a tecnologia da época o aparato custaria muito caro, até que conheceu Michael Goss, técnico em eletrônica que chegou a abandonar seu emprego de vendedor em uma loja da cidade para acreditar na visão do juiz Love, que veio a abrir sua própria empresa fabricante de dispositivos similares no futuro.

Testando o equipamento
Mas como todo primeiro experimento precisa de uma irrefutável resposta de sua essencialidade, necessita ao mesmo tempo, de uma cobaia para testá-lo.
Não querendo colocar ninguém na posição de Homem Aranha, o próprio juiz testou o equipamento e por três semanas, andando com o dispositivo unido ao seu tornozelo, sendo reportagem do jornal The New York Times de 1984.
Após o sucesso comprovado, o dispositivo de plástico passou a ser usado em seu julgamento contra quatro condenados. Um deles foi Cesario Romero, que após uma discussão com um policial foi condenado à multa de detenção. Caminhoneiro, Romero perderia tempo precioso de manejamento e transporte de carga para ficar alguns dias preso, em uma cela lotada, por um crime que em nada fere o contrato estabelecido em sociedade. Dessa forma, os 30 dias de pena foram supervisionados pelo sistema prisional norte americano, em um primeiro passo do monitoramento que hoje existe, graças à visão do juiz Jack Love.
Se a vida imita a arte ou a arte imita a vida, foi motivado por um quadrinho, no final da página de um jornal, um dos mais importantes episódios do sistema prisional mundial.

Fonte: Canal Ciências Criminais
Portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal.

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Bienal do Livro investe em programação cultural



Uma das funções da Bienal do Livro é promover a leitura, segundo os organizadores do evento – Foto: Reprodução / 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

A 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo – que será inaugurada nesta sexta-feira, dia 3, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo – terá 1.500 horas de programação cultural, voltada para todas as faixas etárias, desde a infância até a terceira idade. O evento vai até 12 de agosto.
Para falar sobre a Bienal, o presidente da Câmara Brasileira do Livro, Luís Antonio Torelli, que organiza o evento, foi entrevistado no programa Via Sampa, da Rádio USP, transmitido no dia 31 de julho.
OUÇA A RÁDIO USP https://jornal.usp.br/radiousp-sp-aovivo.html

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Professor da Escola de Aplicação da USP ganha o “Oscar” da HQ




Como explica D’Salete, a ideia da obra “era falar do Brasil colonial do século 17 a partir de uma perspectiva negra e periférica”. Para tanto, “foi necessário compreender mais do período colonial do Brasil: da questão da escravidão e dos traços culturais de povos com origens em antigos reinos, do modo como essas pessoas vieram para cá, o que elas trouxeram em termos de valores, de traços da sua própria cultura e como criaram os contornos de uma experiência africana no Brasil”.
O processo de produção “foi longo”, conta D’Salete. Ele informa que as pesquisas que culminaram na obra vencedora do Eisner começaram em 2004, em um curso realizado no Núcleo de Consciência Negra da USP. Dois anos depois´, em 2006, começou a escrever os primeiros roteiros dos contos.
Inicialmente, as pesquisas estavam direcionadas a outra publicação, o livro Angola Janga, que aborda os diversos mocambos que formavam Palmares, “o maior mocambo de nossa história”.
Porém, ele percebeu que a pesquisa e a criação dos roteiros poderiam germinar outra obra, pois algumas histórias não estavam diretamente relacionadas ao conflito de Palmares, mas falavam muito do período colonial e escravista. “Dentro de uma perspectiva histórica e social, relatar casos específicos envolvendo essas experiências de diásporas e de escravizados no Brasil colonial me interessaram bastante e acabaram constituindo o livro Cumbe”.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Revista em quadrinhos conta como é estudar na USP em Pirassununga

Detalhe da capa da revistinha USP na Escolinha – Foto: Reprodução

Eles ainda estão no ensino fundamental, mas já estão tendo a oportunidade de entender o que é uma universidade e como ela funciona. O projeto USP na Escolinha atendeu mais de 1.500 alunos desde que foi criado, em 2013, por Delaine Rocha, funcionária da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da USP em Pirassununga.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Valor de mercado da Amazon supera US$900 bilhões e já ameaça Apple



O valor de mercado das ações da Amazon atingiu a marca de 900 bilhões de dólares pela primeira vez nesta semana. As informações são da agência de notícias Reuters.
O resultado histórico aconteceu nesta quarta, 18/7, após a gigante do e-commerce anunciar ter vendido mais de 100 milhões de dólares durante a sua promoção anual Prime Day.
Na ocasião, as ações da empresa de Jeff Bezos chegaram aos 1.858,88 dólares, o que lhe deu um valor de mercado estimado em 902 bilhões de dólares. Você viu? Empresa de Jeff Bezos está mais próxima de levar turistas ao espaço
Líder do ranking desde 2011, quando superou a petrolífera Exxon Mobil, a Apple viu suas ações subirem aproximadamente 12% em 2018, com um valor de mercado em torno de 935 bilhões de dólares.
Para efeito de comparação, as ações da Amazon subiram 57% neste ano e mais de 123.000% desde a entrada da companhia na bolsa Nasdaq, em 1997.
IDGNOW.COM.BR

Zuza Homem de Mello é eleito para a Academia Paulista de Letras

Aos 84 anos, Zuza Homem de Mello está em plena forma e criatividade: “Fico muito honrado por ter o reconhecimento da academia, que reúne nomes consagrados da cultura brasileira” – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens
.
Se você se deparar com um cidadão simpático, concentrado, caminhando pela Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, com fones de ouvido, pode ter a certeza de que é Zuza Homem de Mello. Como bom paulistano, ele anda rápido e, o mais interessante, no ritmo de um bom samba, jazz, rock… Aos 84 anos, em plena forma e criatividade, Zuza é o novo integrante da Academia Paulista de Letras (APL). Foi eleito para assumir, no dia 23 de agosto, a cadeira 17, que pertenceu ao professor Massaud Moisés, do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que morreu no último dia 11 de abril.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Como saber se o seu computador foi hackeado



Embora a maior parte das pessoas tenha um tipo de software anti-malware instalado, o antivírus nem sempre garante a tranquilidade em relação a hackers. Em alguns casos, é extremamente difícil entender se o computador foi ou não sujeito a um ataque. No entanto, existem alguns sinais para identificar isso e os listamos abaixo.

Atividade incomum
O primeiro sinal de que o sistema foi comprometido é apresentar atividades incomuns. Podem ser barras de ferramentas do navegador aparecendo, senhas que não funcionam mais ou pop-ups frequentes no sistema ou configurações do computador.
Caso isso ocorra, o usuário deve remover imediatamente todas as barras de ferramentas que não reconhecer e verificar programas que não pareçam legítimos.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Livro analisa relatos de viagem de latino-americanos no século 19

Detalhe da capa do livro Viagens e Relatos, de Stella Maris Scatena Franco: The Tarascon Diligence, 1888, de Van Gogh – Imagem: via vincentvangogh.org

Viagens e Relatos – Representações e Materialidade nos Périplos de Latino-Americanos pela Europa e pelos Estados Unidos no Século XIX é o título de novo livro da coleção Entr(H)istória, da Editora Intermeios. A autora, Stella Maris Scatena Franco, aborda o tema apresentando uma reflexão pontual sobre o tema, que resulta de uma pesquisa iniciada em 2009 e concluída em 2017. É fruto de sua tese de livre-docência, realizada no Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

SEM PROVAS

segunda-feira, 9 de julho de 2018

GOSTA DE LER?QUE TAL UMA DICA?

Nos endereços abaixo, você poderá conhecer os livros de Muniz Correa Neto nas versões digital e impressa. Se desejar, leia trechos de cada livro, gratuitamente.
SOBRE O AUTOR
Muniz Correa Neto é escritor, administrador e consultor de empresas. Além de sua atuação profissional na área da Administração, é colaborador de jornais, revistas e blogs com artigos técnicos, entre outros assuntos de interesse geral. Publicou dois livros direcionados aos estudantes e profissionais de Administração de Empresas, Economia e Contabilidade, entre outros interessados em gestão e negócios: “Consultoria Aplicada às Pequenas Empresas” e “Gestão de Crédito e Avaliação Econômico-Financeira”, além de um romance, "E o que vem agora? e “Inezinha e outras crônicas”, livro mais recente composto de crônicas, pensamentos e pequenas histórias.
Amazon=> https://www.amazon.com.br/s?k=muniz+correa+neto&__mk_pt_BR
Clube de Autores=> https://www.clubedeautores.com.br/books/search?utf8=✓&where=books&what=MUNIZ+CORREA+NETO
Saraiva=> https://www.saraiva.com.br/gestao-de-credito-e-analise-economico-financeira-10183907

quinta-feira, 5 de julho de 2018

NOVO LIVRO - NOVAS ILUSTRAÇÕES

Esse é o primeiro desenho da minha carreira solo como escriba para o público infanto-juvenil. Não é difícil desenhar. Também não falta inspiração para escrever. Mas quando o negócio é TÍTULO, tudo trava, os neurônios entram em conflito, as ideias se chocam. Mas estou calmo, sereno e tranquilo... vou chegar lá. Marcos Mauricio

domingo, 24 de junho de 2018

Globo nega pedido contra memes no Twitter; rede social devolve contas



Nesta semana, diversos usuários brasileiros do Twitter afirmaram que a Globo estaria tentando barrar a publicação de imagens e gifs sobre programas do canal na plataforma social. No entanto, a história ganhou novos capítulos nos últimos dias.
Pouco depois das denúncias virem à tona, a Globo negou ter acionado os usuários contra a publicação dos conteúdos em questão no Twitter, conforme reportagem do UOL.
“A Globo não solicitou a derrubada de nenhum dos conteúdos citados. A empresa tem um profundo respeito pelos seus fãs e pela maneira como se relacionam com a sua programação e trabalha todos os dias para que essa saudável dinâmica conviva com seu compromisso de defesa dos direitos autorais e de combate à pirataria”, afirmou a emissora em comunicado enviado ao site.
Twitter
Segundo o jornalista Ricardo Feltrin, também do UOL, o Twitter já começou a devolver aos usuários as contas e os conteúdos que tinham saído do ar após as denúncias atribuídas inicialmente à Globo.
A rede social também se manifestou oficialmente sobre o assunto, em comunicado enviado ao UOL (veja abaixo), afirmando que, caso as denúncias tenham sido feitas por um perfil falso, o usuário terá de arcar com as possíveis consequências.
“A Política de Direitos Autorais do Twitter estabelece formas e procedimentos a serem adotados nesse tipo de reclamação. O não cumprimento, por denunciantes, das premissas previstas na política os sujeita às medidas cabíveis.”
www.idgnow.com.br